Porque usar um preamp RIAA?

Porque usar um preamp RIAA?

13 de maio de 2014 / Categorias: Áudio / Tags: , , , ,

Há muitos sites e fóruns pelo Brasil abordando assuntos de como gravar Lps no computador, bem como dicas de softwares gravadores de áudio que retiram clicks e cracks das gravações de discos de vinil, e as mais variadas configurações de ligação do toca discos ao PC, etc… Mas a maioria, por falta de conhecimento técnico, não menciona o uso do pré amplificador RIAA, talvez seja simplesmente por desconhecimento da tecnologia envolvida no disco de vinil e da normatização R.I.A.A.

Mas afinal o que é RIAA?

Como você deve saber, o som é composto de freqüências baixas, médias e altas. Se gravasse-mos no disco de vinil o som sem alterar as freqüências baixas, elas produziriam sulcos tão largos que ocupariam um bom espaço no disco impossibilitando a introdução de mais faixas no disco. Isso sem contar a dificuldade que a agulha do toca discos teria em reproduzi-lo.

A indústria fonográfica resolveu o problema em duas partes. Na gravação do disco e na reprodução no toca discos.

 

A gravação

No processo de gravação do disco, as freqüências baixas são atenuadas. Já nas freqüências altas,elas são aumentadas. Isso melhora a relação sinal ruído e os sulcos ficam mais estreitos, consequentemente mais faixas de músicas podem ser introduzidas.

 

Reprodução

Já na reprodução do disco pelo toca discos o processo deve ser o inverso. As alterações de freqüências feitas na gravação devem ser restauradas de forma que o ouvinte possa ouvir o som na na sua forma original. Aí é que entra o pré-amplificador RIAA.

Na etapa da reprodução foi necessário projetar um pré-amplificador que elevasse as freqüências baixas e atenuasse as freqüências altas, num processo inverso.

Como a cápsula do toca discos produz um sinal de baixa amplitude (na ordem de alguns milivolts), o pré também deve amplificar este sinal para um nível compatível aos amplificadores de potência (na ordem de alguns Volts).

 

A técnica RIAA

As técnicas de gravação e reprodução foi aplicada até o final dos anos 50 sem qualquer padronização entre os vários fabricantes de discos, até que nos idos dos anos 60 foi criada a norma RIAA (Recording Industry Association of America) que visava a padronização do processo para todos os fabricantes. O pré-amplificador ELC104 segue exatamente este padrão.

 

No passado o pré-amplificador RIAA ficava embutido

Bem, naquela época não precisava necessariamente comprar um pré-amplificador RIAA para conecta-lo entre o toca disco e o amplificador de potência porque os amplificadores de potência eram fabricados com o pré embutido, bastava conectar o toca discos diretamente no amplificador. Em meados dos anos 70 surgiram também os aparelhos “3 em 1” que eram a solução completa, pois vinham com toca discos, pré e amplificador de potência embutidos em um só conjunto. Com isso não havia necessidade de nenhum outro dispositivo externo.

 

Os equipamentos de som de hoje

Nos anos 90, com o advento do CD Player e o barateamento gradativo dos custos da sua fabricação, possibilitou que grande parte de pessoas tivessem um CD Player em casa. Obviamente os discos de vinil foram aos poucos sendo deixados de lado. Por outro lado, fabricantes de aparelhos de áudio foram gradativamente retirando este circuito pré amplificador de seus aparelhos, reduzindo assim seus custos, até que desaparecessem de vez das lojas já no final dos anos 90.

Mas na verdade nunca conseguiram decretar totalmente a falencia do vinil. Ele resistiu! Dou graças por isso!

Em algum tempo as pessoas perceberam que o velho vinil poderia conviver com esta nova tecnologia. Daí conectar o velho toca discos nesses equipamentos foi só um passo. Mas os equipamentos de som atuais, placa de som, hometheater, amplificadores de potência, mesa de som, etc, não estão adaptados com o pré RIAA para receber um toca discos. Daí a necessidade de conectar um pré-amplificador RIAA.

 

Como soa a audição de um disco sem a correção RIAA?

O som é de péssima qualidade, soa sem graves e com distorção (veja aqui alguns trechos de música em mp3 com e sem correção RIAA).

 

Conclusão Se você pretende conectar seu toca discos em um computador, mesa de som, home theater ou qualquer outro aparelho fabricado recentemente para ouvir e gravar seus discos, você terá necessariamente que intercalar um pré amplificador com correção RIAA no sistema.

About the author